Entenda melhor sobre a Circular de Oferta de Franquias e não corra riscos no desenvolvimento de sua franquia 

É fundamental para o franchising que a futura franqueada conheça bem a realidade da rede de franquias e entenda as suas necessidades econômicas e jurídicas.  

Isso porque poderia ser muito perigoso para a marca da franqueadora que uma franqueada que não conhece verdadeiramente o modelo de franqueamento se tornasse parte da rede.  

Por esse motivo, antes da assinatura do Contrato de Franquias, há a análise da COF, a Circular de Oferta de Franquias.  

Entenda melhor o que é o modelo de franquias

O que é a COF, a Circular de Oferta de Franquias?

Circular de Oferta de Franquias (COF) sendo analisada

A Circular de Oferta de Franquias nada mais é do que um documento no qual estão as principais informações sobre a marca franqueadora, seu modelo de operação e as necessidades do franchising.  

Nele estão todas as informações necessárias para que a futura franqueada tenha ciência do que pode ou não ser feito naquele franqueamento e das vantagens do negócio.  

Na COF estão contidas informações de caráter sigiloso, com a função de esclarecer o sistema de franquias e avaliar se ele se ajusta ao seu perfil de investidor e aos seus reais interesses. 

Por terem caráter sigiloso, esse documento destina-se única e exclusivamente à pessoa jurídica que declarou possuir interesse em ser uma franqueada da marca, sob pena de incorrer em riscos legais. 

Franqueadora – conheça melhor quem é essa figura na rede de franquias

Quando a Circular de Oferta de Franquias (COF) é entregue?

A Circular de Oferta de Franquias será entregue pela franqueadora logo depois da conversa com a futura franqueada, na qual entendeu melhor os interesses da mesma.  

Esse documento deverá ser devolvido em até dez dias, havendo ou não opção pelo franchising. 

Circular de Oferta de Franquias ao ser analisada pelo jurídico da franquia

Caso não haja interesse no franqueamento, a pessoa jurídica deverá devolver a COF no prazo que foi convencionado entre as partes.

A não devolução da Circular pode ensejar grandes prejuízos à pessoa jurídica, derivados de processos judiciais iniciados pela franqueadora. 

Afinal, naquele documento constam informações absolutamente sigilosas da marca, podendo haver o furto ou a utilização de dados por pessoa mal-intencionadas. 

Circular de Oferta de Franquias vs. Contrato de Franquias

Donos de franquias verificando as diferenças entre o cof e o contrato de franquias

Há muita confusão em relação a COF e ao Contrato de Franquias. 

Isso ocorre porque muitas pessoas acreditam que os dois institutos representam a mesma coisa, o que não é verdade.  

A Circular de Oferta de Franquias é um documento enviado em um momento anterior ao Contrato. 

Ela serve para fornecer todas as informações importantes para o candidato que deseja se tornar um franqueado, tentando auxiliá-lo na avaliação do negócio e garantindo clareza para sustentar suas decisões. 

O Contrato de Franquias, por sua vez, serve para, de fato, consolidar o franqueamento. 

Nele, a franqueada demonstra que já está ciente das informações necessárias da marca e de seu modelo de operação, acordando em reproduzi-lo. 

A partir do Contrato, a pessoa jurídica passa a fazer parte da rede de franquias de determinada franqueadora. 

Leia 3 dicas essenciais para o sucesso de uma rede de franquias

O que deve conter na Circular de Oferta de Franquias?  

Donos de franquias discutindo sobre a Circular de Oferta de Franquias

Pelo que você já deve ter percebido, a Circular de Oferta de Franquias é um dos documentos mais importantes para a estruturação do franqueamento.

Por esse motivo, algumas informações são essenciais para que a COF tenha um conteúdo completo e útil à franqueada.  

1. Informações jurídicas

É fundamental que haja na COF o máximo de informações jurídicas sobre a Franqueadora, tais como o nome da Pessoa Jurídica, a Razão Social e a Forma Societária.  

Isso servirá para que a futura franqueada verifique se, juridicamente, a “franqueadora” está com as informações regularizadas e se há possíveis processos judiciais contra ela.  

Em resumo, a presença das informações jurídicas é essencial para que a futura franqueada analise se está tudo “ok” com a franqueadora em que irá investir.  

2. Informações financeiras

De acordo com a Lei de Franquias, a empresa Franqueadora deve demonstrar na COF os seus balanços e demonstrações financeiras relativos aos seus últimos anos de exercício. 

Isso é fundamental para que a futura franqueada verifique se a franqueadora é, de fato, uma oportunidade de sucesso.  

Afinal de contas, é direito da futura franqueada saber se aquela rede de franquias possui chances de oferecer boa rentabilidade. 

3. Informações empresariais 

É essencial que a futura franqueada entenda os modelos de operação e produção da franqueadora, bem como a dinâmica dos treinamentos e o funcionamento do franchising. 

Por esse motivo, informações como essas também devem estar dispostas na COF. 

A franqueadora precisa ter o máximo de informações sobre a franqueada para que sejam evitadas surpresas ao longo do processo de franchising. 

Por isso, todo cuidado é pouco ao elaborar a Circular de Oferta de Franquias. 

Erros ou falhas na confecção desse documento podem trazer grandes dores de cabeça tanto para franqueadoras, quanto para franqueadas.  

Não sabe como elaborar a Circular de Oferta de Franquias? 

Mantenha a calma!  

Elaborar uma Circular de Oferta de Franquias está bem longe de ser uma tarefa fácil. 

Advogado conversando com dono de franquia sobre a Circular de Oferta de Franquias

Por esse motivo, o recomendado é que você não se esforce desnecessariamente para tentar elaborar esse documento. 

Há muitos advogados especializados nisso no mercado, que podem exercer essa tarefa de maneira muito mais simples e rápida que você. 

Com um advogado, você corre menos riscos jurídicos e pode se concentrar em estruturar o modelo de franquias da sua marca, gastando seu tempo com o que realmente importa.  

Ficou com alguma dúvida sobre a Circular de Oferta de Franquias? A equipe do Lourenção & Monteiro Advogados pode te ajudar!